Volte-face inesperado no futuro de Di Maria no Benfica

Ángel Di María, figura de proa do Benfica e campeão do mundo pela Argentina, encontra-se num impasse quanto ao seu futuro profissional, inclinando-se cada vez mais para a permanência na Europa, especificamente em Portugal, ao serviço do Benfica. As esperanças de um regresso triunfante à Argentina e ao Rosario Central, clube do seu coração e onde deu os primeiros passos como profissional, estão a desvanecer-se devido a preocupações sérias com a segurança da sua família.

Recentemente, fontes próximas ao jogador revelaram a A Bola que Di María comunicou a familiares e amigos a sua crescente relutância em regressar à Argentina, fruto de ameaças diretas à sua integridade física e à da sua família, perpetradas por grupos criminosos associados ao narcotráfico. A gota de água terá sido uma mensagem aterradora dirigida à sua filha, evidenciando o perigoso panorama de violência que assola o país, em particular a cidade de Rosário, considerada a mais violenta da Argentina.

Este cenário de intimidação e insegurança forçou Di María a reconsiderar os seus planos de futuro, ponderando agora outras opções que garantam a segurança e o bem-estar da sua família. Entre as possibilidades, constam propostas dos Estados Unidos e da Arábia Saudita, embora o apelo do Benfica, onde tem desfrutado de sucesso e estabilidade, pareça ganhar terreno, especialmente com a possibilidade de renovar o seu contrato, que expira em junho.

O Rosario Central, por sua vez, tem feito esforços significativos para seduzir Di María, preservando, inclusive, a camisola número 11 em sua homenagem e implementando melhorias estruturais no estádio Gigante de Arroyito. No entanto, a questão da segurança surge como um obstáculo intransponível, empurrando Di María para permanecer na Europa, onde se sente mais seguro e valorizado.

Esta situação evidencia a dura realidade enfrentada por muitos atletas argentinos, que, apesar do desejo de regressar ao seu país natal, veem-se confrontados com um ambiente de crescente violência e instabilidade. Para Di María, o sonho de encerrar a carreira no Rosario Central fica, assim, em suspenso, enquanto avalia as melhores opções para o futuro da sua carreira e, mais importante, para a segurança da sua família.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *