‘Vai visitar Madureira à prisão?’ – A resposta de Pinto da Costa

Na grande entrevista que concedeu à SIC, Pinto da Costa voltou a ser questionado sobre as detenções no âmbito do processo Operação Pretoriano.

Questionado sobre a dimensão da operação, o presidente do FC Porto voltou a lançar farpas a André Villas-Boas.

“Vou voltar um pouco atrás. Estava preocupadíssimo com a Assembleia Geral, recomendei os maiores cuidados. Porque nunca vi uma AG, de um clube, sociedade, associação… alguém a apelar aos seus apoiantes ‘Vão lá e filmem tudo’. Mas filmem tudo o quê? Passadas umas horas estava a passar num canal. Filmem tudo o quê? Já vi centenas de AG do FC Porto e nunca ninguém apelou a filmar tudo. É porque sabem que vai acontecer alguma coisa. Depois vão a correr ao Ministério Público fazer queixa dos sócios do FC Porto?”, afirmou.

Sobre Fernando Madureira, Pinto da Costa voltou a defender a presunção de inocência do líder dos Super Dragões.

“Fernando Madureira não traiu a minha confiança. Como não considero isso, não. Conheço as realidades e sei. Não há nenhuma imagem, que se houvesse já tinha aparecido nos telejornais, que mostre o Fernando Madureira a agredir seja quem for. Não há uma! Quando apelaram ao ‘filmem tudo’ era para isso. Mas isso não aconteceu. O individuo que disse isso depois foi para o MP dizer o que deve ou não ser público”, referiu.

De resto, o líder azul e branco lamentou as agressões que marcaram a Assembleia Geral Extraordinária do FC Porto e até revelou que o seu motorista também foi agredido.

“Lamentar, por isso é que fizemos um inquérito e houve 4 sócios suspensos, porque ficou provado – e não tinham nada a ver com Super Dragões – uns seis meses, outros mais. Ninguém recebeu tratamento no pavilhão, foi ao hospital nem ficou ferido, mas naturalmente que levar estalo é desagradável, ninguém gosta. Se algum sócio foi agredido, e foram porque temos imagens, o que podíamos fazer fizemos. Suspendemos sócios que agrediram. Aos outros que não conheço, repudio atitude de quem agrediu e estou solidário com eles. O meu motorista que me foi levar a casa foi um dos agredidos“, disse.

Questionado se iria visitar Fernando Madureira à prisão, Pinto da Costa respondeu:

“Não vou visitar Fernando Madureira por uma razão: porque tem direito a um número limitado de visitas, tem pais, sogros, mulher e filhos. Se não fosse isso não tinha problemas nenhuns. Ele matou alguém? Ele roubou alguém? Que eu saiba não“, atirou.

Pinto da Costa também foi questionado sobre se Madureira tinha condições para continuar a ser líder dos Super Dragões.

“Quais as razões? Os Super Dragões é que decidem os líderes, não eu. Qual é o ato criminoso? Acho que a preparação está em quem pela 1ª vez na história de um clube português apareceu a apelar ‘Venham à Assembleia e filmem tudo’. E o Madureira é que fez a preparação? Por amor de Deus…“, considerou.

Por último, o presidente do FC Porto foi questionado sobre se estariam reunidas as condições para a realização de eleições com segurança e transparência.

“Sou eu que apelo agora, vão lá e filmem tudo. Filmem tudo que tenho a certeza que depois não vão ao MP fazer queixa de ninguém“, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *