Sporting revela ao detalhe os valores estranhos e fora do comum pagos por Pontelo e Koindredi

O Sporting anunciou, esta terça-feira, em forma de comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os detalhes de todas as operações levadas a cabo no passado mercado de transferências de inverno.

O clube de Alvalade faz saber que pagou 700 mil euros por 100% dos direitos económicos de Rafael Pontelo, mais quatro mil euros de comissão à Nomiblue Sports SA. O Leixões, por seu lado, assegurou o direito a “10% de uma mais-valia futura após deduzir a comissão e o mecanismo de solidaridade” inerante.

Koba Koindreri, por seu lado, motivou um investimento inicial de 4,25 milhões de euros, podendo esta verba ascender aos seis milhões de euros, mediante o cumprimento de objetivos. Neste caso, a comissão foi de 75 mil euros, o Estoril ficou com “20% de uma mais-valia”.

Já Mauro Couto, avançado de apenas 18 anos que foi adquirido ao Paços de Ferreira, custou 650 mil euros. O entendimento contempla, ainda, bónus na ordem dos 100 mil euros, que ficam dependentes do cumprimento de objetivos.

A direção liderada por Frederico Varandas esclarece, ainda, que os empréstimos de Gonçalo Esteves (ao AZ Alkmaar), Rúben Vinagre (ao Hellas Verona), Jovane Cabral (ao Olympiacos) e Rodrigo Ribeiro (ao Nottingham Forest) prevêem cláusula de opção de compra.

O mesmo não acontece com as cedências de Mateo Tanlongo (ao Rio Ave), Diego Callai (ao Feirense), Afonso Moreira (ao Gil Vicente), Dário Essugo (ao Desportivo de Chaves) e Lucas Dias (ao Calvary), todas válidas até ao final da presente temporada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *