Rui Costa e a saída de Guedes: ‘Aqueles últimos 15 minutos em Alvalade foram uma grande decepção…’

Em entrevista à BTV, Rui Costa explicou a saída de Gonçalo Guedes do Benfica para o Villarreal, no mercado de janeiro.

O presidente encarnado entende a vontade do português em deixar o clube do coração, uma vez que tinha necessidade de ter mais minutos. As lesões também atrapalharam a sua afirmação.

Rui Costa realçou a dedicação de Guedes, lembrando o facto de ter jogado lesionado no derbi com o Sporting na época passada.

“Não era nosso jogador, era do Wolverhampton. Entretanto, como todos sabem, foi fustigado com estas lesões todas que o condicionou no início da temporada a ganhar o seu espaço. Era outro jogador que tinha pouco minutos e ainda para mais não sendo nosso. Teve esta oportunidade de ir para Espanha de novo, trabalhar com um treinador que já conhecia do Valencia, e havia muita vontade do jogador. A vinda do Rollheiser preenche essa vaga. Também não merecia que impedíssemos continuar o seu percurso porque não estava a ter a importância que se esperava no início da época. Não posso esquecer de dizer que será sempre um de nós. O comportamento que sempre mostrou e pelo grande empenho pela causa… Se dúvidas houvesse, viu-se no ano passado em Alvalade. Ainda hoje, ninguém percebe, nem eu nem médicos, como é que ele aguentou os últimos 15 minutos as jogar naquelas condições e ainda foi influente no final. Ficamos este ano com a expectativa. Perdeu aquele tempo inicial da época ainda a recuperar da lesão e perdeu espaço na equipa e não fazia sentido não aceitar esta mudança dele para Espanha. É um jogador que precisa de minutos. Se não encontrar num sitio, precisas de outro lugar. Todos os jogadores que falamos, pese embora não tivessem dentro de campo a importância que se esperava, não deixaram de ser impor no plantel e seremos sempre gratos”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *