Rúben Amorim bate recorde com o FC Porto antes do Clássico

Num encontro que reforçou a solidez defensiva do Sporting, Rúben Amorim celebrou um marco histórico ao atingir a centésima partida sem sofrer golos à frente do clube leonino, após a vitória por 3-0 contra o V. Guimarães, em Alvalade, na última jornada do campeonato. Este feito não só sublinha a qualidade defensiva que Amorim impôs ao seu conjunto desde a sua estreia em março de 2020, mas também estabelece um novo recorde no clube.

A “clean sheet”, termo emprestado do vocabulário futebolístico inglês, reflete não apenas o bom desempenho dos defesas, mas também a eficácia dos guarda-redes que passaram pela baliza do Sporting sob o comando de Amorim. Desde a sua estreia, com uma vitória por 2-0 sobre o Aves, o técnico leonino conseguiu que sua equipa não sofresse golos em 51% dos jogos dirigidos, num total de 196 encontros.

Este registo supera o anterior recorde no clube, que estava nas mãos de Paulo Bento com 93 jogos sem sofrer golos entre 2005 e 2009. Bento manteve a baliza invicta em 48% dos seus 194 jogos como treinador dos leões. Seguem-se na lista nomes como Jorge Jesus, com 64 clean sheets, e Fernando Vaz, que apesar de ter menos jogos sem sofrer golos (60), detém a melhor percentagem (53%) entre os técnicos do Sporting.

Comparativamente, no panorama do futebol português, Rúben Amorim ainda está distante dos números alcançados por Jorge Jesus no Benfica, que possui o recorde de clean sheets num clube português, com 185 em 404 jogos. No entanto, a consistência demonstrada por Amorim poderá eventualmente desafiá-lo num futuro próximo.

No FC Porto, Sérgio Conceição é o líder neste aspeto, com 173 jogos sem sofrer golos em 362 partidas, mostrando que a competição defensiva é uma constante entre os grandes treinadores do futebol português.

Este marco de Rúben Amorim sublinha não apenas um estilo de jogo eficiente e robusto defensivamente, mas também estabelece o técnico como um dos mais competentes no cenário nacional, sendo um estrategista defensivo de mão cheia. Com esta conquista, Amorim não só entra na história do Sporting, como também reafirma seu estatuto como um dos treinadores mais promissores de sua geração.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *