Preguiçoso: “Gyokeres não vai buscar a bola ao guarda-redes, nem arranca de uma área à outra”

Ricardo Paiva procurou não individualizar os tormentos maiores que são anunciados por um jogo contra o Sporting, mas não foi possível passar ao lado da influência gerada por Gyokeres no jogo leonino.

“Eles têm em todos os setores jogadores que merecem atenção. O Gyokeres tem caraterísticas muito interessantes, temos de olhar para ele mas olharia mais para o coletivo. Temos de considerar todos os jogadores, não só o Gyokeres”, disse, admitindo que controlar o sueco “implica muita capacidade de trabalho, correr muito, estar atento e ver todos os movimentos sem bola”. Apesar destes elogios, avisa.

“Há mais dez jogadores que obrigam a uma atenção muito grande. Ele não vai buscar a bola ao guarda-redes, nem arranca de uma área à outra com bola. É preciso anular essas ligações e é preciso entender o jogo do Sporting. Claro que tem uma disponibilidade física incrível, um sentido de baliza muito forte, tem movimentos de largura e sobre os corredores feitos de forma simples e durante 90 minutos. Mas temos mais dez jogadores em que estar focados”, alertou.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *