Portugueses tristes CR7 sem ‘Love’. Martínez não chega ao recorde e Portugal fica sem ‘Vénia’

Portugal falhou na missão de chegar à 12.ª vitória consecutiva, esta terça-feira, ao ‘derrapar’ na Eslovénia (2-0), num jogo particular disputado em Liubliana, inviabilizando também Roberto Martínez de atingir o seu recorde pessoal como selecionador.

O primeiro tempo não foi nada sorridente para Portugal, sem qualquer remate à baliza, mas a verdade é que a segunda parte, no que ao resultado diz respeito, acabou por se revelar… pior. Já com o estreante Francisco Conceição em campo, Cerin (72′) e Elsnik (80′) trataram de deixar os eslovenos a festejar

É caso para dizer que no país em que as palavras ‘Love’ (amor em português) e ‘Vénia’ estão implícitas, Cristiano Ronaldo não teve o ‘Love’ necessário no seu regresso e Portugal ficou sem direito a uma ‘Vénia’, na preparação para o Euro’2024.

Há que confessar… o tédio

Por comparação à goleada frente à Suécia (5-2) na passada quinta-feira, em Guimarães, Roberto Martínez manteve apenas Pepe no onze e promoveu trocas nas restantes dez posições, com destaque para a presença de Cristiano Ronaldo, de regresso à seleção nacional.

A mudança não se ficou por aí, uma vez que o técnico espanhol testou a equipa num 3-5-2, com a colocação de Danilo numa linha de três defesas, algo que, do ponto de vista ofensivo, acabou por ter um impacto não muito positivo.

Apesar da posse de bola, Portugal raramente soube o que fazer com a bola, de tal forma que acabou o primeiro tempo sem qualquer remate à baliza. João Cancelo e Otácio ainda pediram penálti, mas o árbitro Irfan Peljto mandou seguir, numa altura em que Cristiano Ronaldo procurava o seu destaque na frente de ataque.

Já Diogo Costa teve de aliviar o perigo por duas vezes, ainda que não tenha necessitado de fazer qualquer defesa. O primeiro tempo, pode-se dizer, terá sido o mais entediante da era Roberto Martínez.

Nada correu bem

No regresso dos balneários, o selecionador nacional promoveu a entrada de António Silva para o lugar de Pepe (que fez história ao lado de Cristiano Ronaldo) e ainda a estreia de Francisco Conceição, que rendeu Otávio. Porém, foi a seleção eslovena a ficar perto de desbloquear o nulo, dado que, aos 52 minutos, Benjamin Sesko ‘esbarrou’ em Diogo Costa e ficou a centímetros do golo.

O ‘clique’ da reação deu-se a partir daí, ainda que tal não tenha acontecido de forma tão evidente quanto se desejaria. Em cima da hora de jogo, Cristiano Ronaldo fez o seu primeiro remate, à malha lateral, após ter tirado um adversário do caminho, seguindo-de depois uma tentativa, de cabeça, de Gonçalo Inácio. Continuava a faltar qualquer coisa…

E faltava, mas quem sorriu foi a Eslovénia. Aos 72 minutos, num lance coletivo bem trabalhado, Cerin apareceu de forma oportuna na grande área e, desta vez, bateu Diogo Costa, surpreendendo a seleção portuguesa, que tentava o seu 12.º triunfo consecutivo.

Já aos 80 minutos, no lance imediatamente após aos pedidos de grande penalidade Cristiano Ronaldo, Timi Elsnik apareceu no sítio certo para fazer o segundo golo da partida, deixando a comitiva portuguesa algo incrédula, ainda que o ‘perfume’ do seu futebol não tenha dado para muito mais.

Na reação, João Félix ainda atirou ao poste e, já com Jota Silva e João Neves em campo, CR7 ainda voltou a tentar a sua sorte, mas a desinspiração do craque do Al Nassr estendeu-se também a todos os seus colegas, na primeira derrota da era Roberto Martínez, enquadrada na preparação para o Euro’2024.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *