Pinto da Costa e o filho estão de costas voltas, eis o motivo

Com o Coliseu do Porto completamente lotado, Pinto da Costa anunciou no último domingo a sua intenção de se recandidatar à presidência do FC Porto. No entanto, os observadores mais atentos não deixaram de notar a ausência de um apoio crucial para o líder do clube.

Apesar de estar presente no evento a filha Joana, o filho mais velho, Alexandre Pinto da Costa, de 59 anos, fruto do primeiro casamento com Manuela Carmona, não compareceu. Segundo informações da FLASH!, essa ausência deve-se a uma nova desavença entre pai e filho.

Há muito tempo que a relação entre os dois ia para além do âmbito familiar, e Alexandre Pinto da Costa participou em alguns dos negócios mais rentáveis do FC Porto, graças a um esquema que lhe permitia receber comissões extras pela transferência de diversos jogadores de futebol.

Este caso teria passado despercebido se, em 2021, durante a Operação ‘Cartão Vermelho’, que resultou na detenção de Luís Filipe Vieira, não se tivesse mencionado o nome de Alexandre, suspeito de receber milhões de euros em comissões provenientes de transações de jogadores, através de outros dois empresários associados ao clube do norte do país. Em apenas quatro anos, o FC Porto rendeu aos empresários a enorme quantia de 64 milhões de euros, com as transferências a serem agora investigadas e com buscas a serem realizadas na residência de Alexandre.

O futebol já tinha causado uma ruptura entre pai e filho antes, em 1998. Naquela ocasião, Pinto da Costa e Alexandre tinham cortado relações devido a negócios relacionados com a transferência de jogadores. Tudo começou quando o empresário intermediou a transferência do jogador Zahovic sem o consentimento do pai. Como retaliação, quando Sérgio Conceição assinou contrato com a Lazio, Alexandre foi excluído do negócio, sendo que Pinto da Costa entregou a venda do jogador a Luciano D’Onofrio, assim como a respetiva comissão.

A disputa familiar prolongou-se ao longo de vários anos e só em 2011 é que os dois reconciliaram. Foi através da intervenção da então companheira do pai, Fernanda Miranda, que Alexandre e Pinto da Costa voltaram a aproximar-se. A paz manteve-se por mais de uma década, e embora inicialmente tenham optado por separar a relação familiar do mundo do futebol, com o tempo, a ligação acabou por tornar-se também profissional. Os negócios das comissões e o dinheiro acabaram por causar uma nova ruptura entre pai e filho, que agora estão afastados há mais de seis meses.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *