Pinto da Costa descaiu-se, CMVM não perdoa e trama o FC Porto

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) suspendeu hoje a negociação das ações do Futebol Clube do Porto, SAD, enquanto aguarda “a divulgação de informação relevante ao mercado”. A suspensão surge na sequência da entrevista de Pinto da Costa à SIC, onde revelou a entrada de capital no clube, face à ausência da Liga dos Campeões do próximo ano.

“O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) determinou no dia 02/abr/2024 pelas 09:25 (UTC), nos termos do artigo 214.º e da alínea b) do n.º 2 do artigo 213.º do Código dos Valores Mobiliários, a suspensão da negociação das ações Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, aguardando a divulgação de informação relevante ao mercado”, refere a comunicação ao mercado.

Em 28 de março, último dia em que negociaram, as ações da Porto SAD fecharam estáveis nos 1,15 euros, com 20 títulos a mudarem de mãos.

Entretanto, o FC Porto já reagiu em comunicado, revelando que aguarda a injeção de 70 milhões de euros decorrentes de um contrato com uma empresa internacional.

“A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, nos termos do artigo 29º Q do Código dos Valores Mobiliários, vem, na sequência da entrevista do seu Presidente, informar o mercado que espera fechar definitivamente o contrato com uma reputada empresa internacional, com reconhecida experiência na otimização das receitas comerciais relacionadas com grandes equipamentos desportivos, até 30 de junho de 2024. Sendo esta parceria consubstanciada na participação minoritária numa das empresas com os direitos comerciais do Grupo FC Porto, através da injeção de capital por um montante estimado entre os 60 e 70 milhões de euros, como anteriormente comunicado ao mercado, a Sociedade irá elevar assim os capitais próprios em igual montante. Mais informa que apesar de não ter ainda fechado um financiamento neste sentido, a Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD está a negociar uma reformulação a sua dívida de médio e longo prazo, num montante estimado de 250 milhões de euros, a uma taxa de juro competitiva em termos de mercado“, pode ler-se.

Fonte: LUSA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *