Pedro Guerra precisará desembolsar uma compensação vultosa a Pinto da Costa e Luís Gonçalves

O Tribunal da Relação do Porto manteve a condenação de Pedro Guerra por difamação contra Pinto da Costa, Luís Gonçalves e a SAD do FC Porto. O comentador, conhecido pelo seu apoio ao Benfica, terá de pagar 3 mil euros a cada um dos dirigentes portistas e 5 mil euros à sociedade desportiva. Esta decisão confirma a sentença inicial proferida a 1 de junho de 2023 pelo Tribunal Judicial da Comarca do Porto.

Pedro Guerra havia recorrido da condenação, mas o Tribunal da Relação considerou improcedente o recurso, mantendo a decisão anterior. Guerra foi considerado culpado por dois crimes de difamação agravada contra Pinto da Costa e Luís Gonçalves, e um crime de difamação agravada contra a SAD do FC Porto. Estas acusações surgiram na sequência de declarações feitas por Guerra em 2018, no programa “Prolongamento” da TVI, onde insinuou que o FC Porto teria manipulado a substituição do árbitro Fábio Veríssimo por Carlos Xistra no jogo contra o Belenenses.

As declarações de Pedro Guerra geraram um grande alvoroço no meio desportivo, levando Pinto da Costa, Luís Gonçalves e a SAD do FC Porto a moverem um processo judicial contra o comentador. A manutenção da condenação pelo Tribunal da Relação é vista como uma vitória para o clube portista e uma reafirmação da necessidade de responsabilidade e ética na comunicação desportiva.

Este caso sublinha a importância de uma comunicação responsável e a gravidade das acusações infundadas que podem manchar a reputação de indivíduos e instituições. Para Pedro Guerra, a decisão representa um revés significativo, tanto em termos pessoais como profissionais, e serve de aviso para outros comentadores e figuras públicas sobre as consequências legais de declarações difamatórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *