Manuel Moura dos Santos arrasador após adiamento “é fundamental colocar o Benfica no 1.° lugar, e o Sporting andar atrás”

O tão esperado jogo entre o Sporting e o Famalicão, inicialmente agendado para o último sábado, dia 3, foi cancelado devido à carência de agentes policiais em quantidade adequada para assegurar a sua realização. Manuel Moura dos Santos, numa crónica exclusiva para o jornal ‘O Jogo’, manifestou a sua surpresa e incredulidade perante esta situação.

“Era suposto eu terminar esta crónica escrevendo sobre o jogo Sporting Famalicão, que deveria ter-se realizado ontem. Tal não vai acontecer porque o jogo não se realizou, devido à ausência das forças policiais em número suficiente para assegurara realização do mesmo. Baixas médicas em catadupa não permitiram reunir a força policial necessária para a realização dum jogo num estádio com capacidade para 8000 pessoas.”, começou por dizer.

“O que é extraordinário e simultaneamente inconcebível, é que foi só neste país, grupos externos ao futebol agem de forma concertada e deliberada para condicionar a carreira e o sucesso do Sporting possível reuniras forças policiais que viabilizassem a realização do Porto-Rio Ave, no Estádio do Dragão, com capacidade para 50 000 pessoas.”, continuou.

“E hoje, provavelmente, será realizado o Benfica-Gil Vicente, no Estádio da Luz, com capacidade para 65 000 pessoas. É fundamental colocar o Benfica no 1.° lugar, e jogar com o efeito psicológico do Sporting andar atrás. Só neste país, grupos externos ao futebol agem de forma concertada e deliberada para condicionara carreira e o sucesso do Sporting, impunemente.”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *