Koehler assume “financiamento” ao FC Porto: “AVB abandonou o barco”

João Rafael Koehler assume ter participado num “financiamento” ao FC Porto, na sequência da polémica provocada pela divulgação do Relatório e Contas do primeiro semestre de 2023/24, que trouxe a público um contrato de 14,5 milhões de euros entre o clube e a ‘sua’ Connect Capital.

Em forma de comunicado enviado ao jornal O Jogo, o empresário (que tem vindo a participar nas ações de campanha de Jorge Nuno Pinto da Costa) desvalorizou a controvérsia instalada em torno do tema, e atirou: “Tenho muito orgulho em poder dizer que apoiei o meu clube quando ele precisou de mim”.

“Foi em momentos difíceis, e numa altura em que muitos outros recuaram, que um conjunto de empresários, onde me incluo, decidiu apoiar o FC Porto através de um financiamento.Fi-lo, por exemplo, na subscrição de papel comercial”, pode ler-se na nota citada pelo jornal O Jogo.

“Fui eu que sugeri o nome de AVB [André Villas-Boas] para subscrever um desses financiamentos, onde o então treinador investiu 500 mil euros, exatamente nas mesmas condições de juros de todos os outros investidores”, prossegue.

“E posso dizer mais. Foi o que menos investiu e foi o primeiro a ‘abandonar’ o financiamento, recebendo o capital investido, acrescido dos juros. Antes de qualquer outro investidor. Fi-lo também através de um contrato de factoring que hoje tem sido mencionado”, completa.

A terminar, João Rafael Koehler ‘atira’ aos rivais: “Como devem saber, os bancos nacionais não estão a financiar os clubes. O FC Porto, ao contrário de outros, nunca teve perdões de dívida. Assim, a FC Porto SAD, tem sido obrigada a recorrer a outros instrumentos de financiamento”.

“Tratou-se de uma operação transparente e em condições de mercado. Fi-lo na altura e voltarei a fazê-lo sempre que o meu clube precisar de mim. E acredito que, por amor ao clube, muitos dos outros investidores me acompanharão”, remata.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *