Grimaldo deixa vários elogios a Xabi Alonso e parece dar uma bicada a Roger Schmidt

Alejandro Grimaldo está a ter um desempenho notável nesta temporada desde que saiu do Benfica a custo zero. Aos 28 anos, o lateral-esquerdo espanhol é atualmente um dos melhores em campo. No Bayer Leverkusen, é o segundo maior goleador, com 11 golos, atrás apenas de Victor Boniface, e o segundo jogador com mais assistências, com 11 passes para golo, ficando apenas atrás de Florian Wirtz. Grimaldo destacou a importância de Xabi Alonso na sua carreira e elogiou o treinador, tanto dentro como fora do campo, em entrevista a Fabrizio Romano.

“Para mim, Xabi é um treinador muito especial. Está muito claro que eu vim para o Bayer Leverkusen por ele. Trata-me muito bem e tem-me ajudado na adaptação. É um treinador muito especial porque sabe explicar cada conceito, sabe como tratar os jogadores, sabe como exigir-lhes, mas ao mesmo tempo dando-lhes confiança, sem tirá-la em algum momento. Recordo-me que a equipa esteve muito mal na primeira parte da partida contra o Estugarda. Lembro-me que ao intervalo ele disse algo do género: ‘A mim, tanto me faz se perdemos ou ganhamos, mas vamos jogar como nós sabemos jogar’. Exigiu de nós algumas coisas, umas mudanças, mas deixou bem claro que o resultado não importava para nada, só queria que jogássemos como sabíamos. Fomos para o campo e jogo correu de forma totalmente diferente. O que te quero dizer com isto é que ele sabe tratar os jogadores. Ainda há pouco tempo era jogador, e foi um jogador incrível, e também teve grandes treinadores durante a sua carreira. Creio que tudo isso é determinante para que seja o treinador que hoje é. Está muito claro para mim que vai marcar uma era”, começou por dizer.

“Tem capacidade para manter o balneário unido. Como já devem ter visto, esta temporada temos 15 ou 16 jogadores que podiam ser facilmente titulares esta época e com isso já rodámos em muitos jogos. Isso faz com que a equipa esteja muito unida, ninguém fica chateado, não existem problemas porque estamos todos na mesma página. Fora de campo ele comunica muito connosco, não fala como um treinador, mas sim como se fosse um de nós. Podes falar com ele a qualquer momento. Mas dentro de campo é diferente, é mais exigente, mas creio que o mais importante é o facto de conseguir dar confiança aos jogadores. Nem todos os treinadores conseguem-no, mas ele consegue”, afirmou o ex-Benfica.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *