Francisco J. Marques ataca João Neves após o E. Amadora-Benfica

Francisco J. Marques voltou a deixar um duro ataque a João Neves, após o Estrela da Amadora-Benfica.

O diretor de comunicação voltou a referir que o jovem médio encarnado protagonizou entradas merecedoras de cartão, mas que voltou a sair impune, considerando ser mais uma demonstração de benevolência da arbitragem.

“Há umas épocas valentes, havia um jogador do Benfica, que era o Pizzi, a quem tudo era permitido, fez um campeonato quase inteiro com quatro amarelos e nunca veio o fatídico quinto amarelo. Agora, a situação não é igual… O João Neves é um jovem cheio de talento, mas beneficia de um regime de absoluta exceção. O jogo da Amadora voltou a ficar evidente. Há dois lances para amarelo. Tocar na cara deixou definido, por jurisprudência arbitral, que não há remissão, é cartão amarelo. A verdade é que o João Neves nunca leva amarelo. No jogo com o Farense, nas barbas do árbitro, deu uma patada na barriga de um adversário e não houve sanção. Outro jogador levava. O caso mais paradigmático é compararmos o lance em que João Neves atinge com o braço na cara do jogador do Estrela da Amadora. Em Chaves, foi levemente atingido na cara, foi penálti a favor do Benfica e cartão amarelo para o jogador do Chaves, jogo esse que foi arbitrado pelo mesmo Hélder Malheiro que esteve na Amadora. O lance na Amadora é mais evidente e não houve amarelo. Porquê? Foi um jogo arbitrado pelo mesmo árbitro. Há uma proteção que faz com que o Benfica tenha um número tão reduzido de amarelos. O João Neves em todos os jogos justifica um ou dois cartões, mas nunca vê. Se acontece num jogo, é normal, mas quando há um padrão, uma ação contínua… Há uma proteção às entradas excessivas de João Neves“, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *