Fernando Madureira fez pedido para sair da prisão e já recebeu a resposta

Fernando Madureira quer passar para prisão domiciliária mas a Procuradora do Ministério Público fecha a porta a essa possibilidade.

Perigo de continuidade da atividade criminosa e perigo de perturbação de inquérito, são estes os pressupostos que ditaram a prisão preventiva do líder dos Super Dragões. Mas a defesa recorreu da decisão. No relatório foi apresentada uma morada fora do grande Porto e foi sublinhado que Madureira está bem integrado socialmente sendo que em nenhum momento são contestados os motivos que levaram à prisão dos principais arguidos do caso.

Fernando Madureira foi detido no âmbito do processo Operação Pretoriano que investiga os incidentes que aconteceram a 13 de novembro na Assembleia Geral Extraordinária do FC Porto. O Ministério Público sustenta que o velho aliado de Pinto da Costa era o cérebro de um plano para criar um clima de intimidação e medo aos sócios azuis e brancos, apoiantes de André Villas-Boas.

Em causa estão crimes de ofensa à integridade física, ameaça agravada, instigação pública a um crime, arremesso de objetos e atentado à liberdade de informação. A juíza de instrução Filipa Azevedo ainda não se pronunciou sobre o que poderá acontecer nos próximos dias.

As testemunhas das agressões e ameaças na Assembleia Geral vão agora ser ouvidas pela magistrada do Ministério Público. O objetivo é tornar as provas mais consistentes de forma a evitar alterações nas medidas de coação.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *