Eriksson revela grande arrependimento no Benfica: ‘Fiz uma má escolha’

Em uma entrevista recente à BTV, Sven-Göran Eriksson, uma das figuras mais emblemáticas do Benfica e o último treinador a levar o clube à final da Liga dos Campeões em 1989/90, expressou admiração pelo trabalho atual de Roger Schmidt à frente das águias.

Eriksson, que tem um histórico profundo com o clube, destacou a performance de Schmidt na temporada passada como exemplar, considerando-o “o melhor” treinador nesse período.

“O treinador na época passada foi o melhor, é uma regra no futebol, especialmente num clube enorme como o Benfica. O Benfica quer ganhar um título no mínimo a cada ano, e claro que isso não é fácil”, afirmou Eriksson. As suas palavras refletem o alto padrão que o Benfica estabelece constantemente e a pressão que isso implica para qualquer técnico no comando.

Além dos elogios a Schmidt, Eriksson também falou sobre uma decisão pessoal marcante. O treinador sueco revelou que após sua saída do Manchester City em 2008, teve a oportunidade de retornar ao Benfica, uma proposta que acabou por recusar em favor de um convite do México — uma escolha da qual se arrepende profundamente.

“Tenho de agradecer ao Benfica todos os dias, porque é um clube enorme. E, depois, abriram-me a porta para o resto da Europa. Tive a oportunidade de vir para cá a terceira vez. Fiz uma má escolha, fui para o México (2008). Devia ter vindo para cá outra vez. Claro que o Benfica significa muito para mim. Fomos bem-sucedidos em pelo menos 4 dos 5 anos que aqui estive. O Benfica é enorme. Lembro-me que a primeira coisa que o Fernando Martins fez quando me foram buscar ao aeroporto, foi levaram-me à sala de troféus, era como me a dizer ‘não penses que és alguém importante’. Foi assim”, afirmou.

Este regresso poderia ter marcado uma terceira passagem pelo clube, após duas estadias bem-sucedidas que fortaleceram seu vínculo com os adeptos e a história do clube.

O reconhecimento de Eriksson pelo trabalho de Schmidt sublinha a continuidade da excelência no comando técnico que o Benfica busca manter. As palavras de uma figura tão respeitada como Eriksson certamente ecoam não só entre os fãs mas também dentro do próprio balneário, servindo como motivação adicional para Schmidt e sua equipe prosseguirem na luta pelos objetivos ambiciosos do clube.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *