‘Ao ver na outra candidatura a pessoa que mais odeia o FC Porto…’

Durante uma sessão de esclarecimento em Vila Verde, dirigida a uma audiência de cerca de 200 apoiantes, Pinto da Costa, presidente do FC Porto, esclareceu os motivos que o levaram a decidir-se pela recandidatura nas próximas eleições do clube, agendadas para 27 de abril.

Numa intervenção carregada de emoção e determinação, o líder dos dragões não hesitou em apontar figuras públicas que, na sua visão, não alinham com os interesses do clube.

“Admiti que podia não me recandidatar. Mas quando vi, na apresentação de outro candidato, as pessoas que estavam na primeira fila, pensei assim: ‘Isto é uma OPA ao FC Porto’. Quando vi na primeira fila a pessoa que mais odeia o FC Porto, o senhor Joaquim Oliveira, com camarote em Alvalade, pensei e vi logo o que estava por trás dessa candidatura“, declarou Pinto da Costa, visando claramente influências externas nas eleições do clube.

Durante a sua fala, o presidente também mencionou o candidato André Villas-Boas, relembrando os elogios que este lhe dirigira antes de se tornar seu oponente nas eleições.

“Fê-lo espontaneamente. Depois, na apresentação, disse que eu era o presidente dos presidentes, que merecia todas as mordomias, que ficava na história… A partir do momento em que me candidatei, já não servia para nada, tudo o que fiz foi mal feito“, referiu.

Além das questões eleitorais, Pinto da Costa aproveitou a ocasião para falar sobre projetos futuros, incluindo a construção de uma nova academia na Maia.

“Vai ser um orgulho para o FC Porto, era uma necessidade premente que o clube tinha. Vamos ter uma academia com 10 campos, um pavilhão para exercícios do futebol, um hotel para 140 jovens, um restaurante que serve 500 refeições em simultâneo… É uma obra fantástica, planeada pelo arquiteto que desenhou o nosso estádio e o nosso grande pavilhão“, disse.

Em relação ao atual plantel, o presidente defendeu a qualidade dos jogadores e reiterou o compromisso em fortalecer ainda mais a equipa. “Temos jogadores da seleção do Brasil, de Portugal, da Argentina e dos sub-21 de Espanha. Se isto não é um bom plantel, digam-me onde está. Mas queremos mais e melhor“, afirmou, evidenciando o seu otimismo e a ambição de continuar a elevar o FC Porto a patamares de excelência no futebol europeu e mundial.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *