André Villas-Boas responde de um jeito surreal a Pinto da Costa: ‘Há aí uma desatualização’

Num recente desenvolvimento na corrida eleitoral do FC Porto, André Villas-Boas respondeu às críticas dirigidas por Pinto da Costa, atual presidente do clube. Durante um encontro com adeptos portistas nos Açores, Villas-Boas foi questionado sobre as declarações de Pinto da Costa, que o acusou de ter interesses ocultos relacionados com os direitos televisivos e sugeriu uma mudança na arbitragem desde o anúncio da sua candidatura.

Villas-Boas, antigo treinador do FC Porto e agora candidato à presidência, defendeu-se, afirmando que existe uma “desatualização de informação” por parte de Pinto da Costa, particularmente em relação à centralização dos direitos televisivos, prevista para 2028. O candidato considerou as afirmações de Pinto da Costa como “infelizes” e desvinculadas da realidade, enfatizando a necessidade de discussão sobre a distribuição dos direitos televisivos entre os clubes para o futuro do futebol português.

Quanto à sua relação com o atual presidente, Villas-Boas clarificou que não está em “rota de coesão” com Pinto da Costa, atribuindo o desconforto do presidente à força da sua candidatura e ao desejo de mudança expresso pelos sócios. Villas-Boas apresentou o seu projeto para o clube, focado na melhoria desportiva, numa direção desportiva robusta, e na otimização da formação e da performance, com o objetivo de assegurar a competitividade do FC Porto.

O candidato também abordou a gestão financeira do clube, criticando o modelo atual e prometendo uma abordagem que previna a continuação do aumento do passivo, que supera os 250 milhões de euros. Villas-Boas reiterou a importância de manter a maioria do capital na SAD e de expandir a base de sócios do clube além dos distritos do Norte.

Sobre a manutenção de Sérgio Conceição como treinador, Villas-Boas preferiu não comentar, mantendo o foco nas questões estruturais e financeiras do clube. Ele expressou ainda preocupação com a sustentabilidade financeira do FC Porto, especialmente após a derrota contra o Estoril, que complica as aspirações do clube à Liga dos Campeões.

Villas-Boas prometeu, caso seja eleito, trabalhar para aproximar o clube dos sócios, especialmente aqueles que residem longe do Porto, sugerindo uma possível revisão dos estatutos do clube para facilitar o exercício do direito de voto.

Esta troca de declarações e propostas evidencia a tensão pré-eleitoral no FC Porto, com os sócios à espera de decidir o futuro direcional do clube nas urnas, marcadas para 27 de abril.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *