André Villas-Boas diz que se for eleito presidente do FC Porto não irá aceitar remuneração “Salário”

Se vencer as eleições do próximo dia 27, acredita que vai poder festejar no Estádio do Dragão essa vitória?
-Ui, não sei. Isso é uma pergunta que já nos temos feito. E, digo-lhe sinceramente, é uma pergunta que me preocupa. Não quer dizer que seja um ambiente de grandes festejos, porque no dia seguinte há um FC Porto-Sporting e é fundamental para o FC Porto terminar este campeonato com uma boa imagem, porque não é uma boa imagem a distância pontual atual. Portanto, não é uma altura de grandes festejos. Provavelmente estarei em sede de campanha. Se os sócios aderirem em massa na sede de campanha, tenho algum medo de um aglomerar de pessoas que eu não possa suportar naquele espaço. Portanto, irei tentar mantê-la fechada, aberta à comunicação social, aberta aos membros das listas. Não havendo resposta por parte do FC Porto para um determinado espaço no Estádio do Dragão, provavelmente será em sede de campanha que estaremos.

E qual será a primeira medida que vai tomar se for eleito?
-É difícil. Acho que a primeira medida é sentar-me, individualmente ou coletivamente, com todos os funcionários do clube. A primeira mensagem é para eles. É a altura de uma mudança radical em termos de liderança. Radical, digo, pela quantidade de anos que o presidente da direção dirigiu o FC Porto. Portanto acho que essa é a primeira medida. De sentar com toda a gente, perceber os caminhos, os caminhos que irão levar um FC Porto melhor, mais competitivo e sustentável.

Se ganhar, quer falar com Pinto da Costa?
-Naturalmente terei de falar. Acho que uma grande despedida de Pinto da Costa da Direção do FC Porto é uma obrigação. Agora depende se o mesmo a quiser aceitar ou não.

Será um presidente não remunerado?
-Sim, em absoluto.

Porque não precisa ou porque pensa que o presidente do FC Porto não deve receber um ordenado?
-Felizmente tenho a independência financeira para poder olhar para este desafio desta forma. Depois, acho que é o caminho e o exemplo a seguir. Muitas das pessoas que estão na minha lista, na minha candidatura, saem de situações mais confortáveis profissionalmente e pessoalmente. Porque liderar um barco como é o FC Porto é intenso e o desafio ainda se eleva mais tendo em conta a atual situação financeira do clube. Muitas dessas pessoas traçam o exemplo, aceitando estes cortes. Acho que tenho de ser o exemplo máximo disso, mas também acredito que um presidente do clube deve ser sempre não remunerado.

E relativamente aos prémios para os administradores?
-Aí, o que vamos fazer é definir que os prémios na remuneração variável só serão aplicados em caso de ponderadores positivos desportivos e financeiros. E quando se aplicam ponderadores desportivos e financeiros, primeiro são valorizados os funcionários do clube e só depois, a uma taxa de 60% do que é a remuneração fixa, serão aplicáveis aos administradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *