Rúben Amorim se emocionou ao falar sobre o futuro: “E se algo der errado?”

Após uma vitória convincente por 3-0 sobre o Portimonense, Rúben Amorim, treinador do Sporting, enfrentou a imprensa com uma mistura de satisfação e introspeção. Com o campeonato a aproximar-se de um desfecho que poderá coroar os leões, Amorim abriu o jogo sobre suas hesitações em relação ao futuro próximo do clube.

“E se corre mal?” foi a questão que pontuou a conversa do treinador, contrastando com o otimismo habitual que segue vitórias expressivas. Amorim, que guiou o Sporting através de altos e baixos, relembrou momentos menos gloriosos como as dificuldades enfrentadas contra equipas como Lask Linz e Varzim, e um desanimador 4º lugar no campeonato numa temporada anterior.

O treinador destacou que o próximo ano promete ser desafiante os múltiplos objetivos que permanecem no horizonte do clube.

“Quando cheguei, a pergunta era ‘e se corre bem?’. Agora, pondero sobre o potencial negativo, algo que naturalmente acompanha qualquer projeto de sucesso“, explicou Amorim, indicando que a pressão de manter a alta performance é uma constante.

Entre a expectativa de “sair pela porta grande” e a realidade de uma possível remodelação do elenco, o técnico admite que não apenas fatores financeiros ou de carreira pesam em suas decisões, mas também o desafio emocional e estratégico que tais mudanças implicam.

“É muito difícil fazer uma remodelação com estes jogadores“, confidenciou, sublinhando a complexidade de manter o sucesso sustentável num ambiente tão competitivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *