Amorim reage ao sorteio da Liga Europa e o tabu sobre mudança para o Liverpool

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Rio Ave, Rúben Amorim chamou a atenção para as dificuldades desta deslocação e foi convidado a reagir ao sorteio da Liga Europa, que marcou o reencontro do Sporting com a Atalanta.

“Um sorteio onde calhariam sempre equipas fortes. Já nos conhecemos, as duas equipas cresceram neste período. Vai ter impacto com a quantidade de jogos que vamos ter aqui, vamos ter de fazer uma gestão bem feita. O pessoal da análise ficou feliz e quando saiu Atalanta gritaram bem alto. Sabíamos que ia sair sempre uma equipa forte. Em relação ao Rio Ave, o mister Freire fez o seu trajeto a subir de divisão, tem talento para o treino. Reforçou-se bem, aumentou as soluções, na velocidade, o Úmaro, o Adrian. Têm jogadores castigados. A bola parada vai ser importante, bem como o estado do terreno, que vai dificultar as duas equipas. Vamos ter de nos adaptar ao relvado. Vai ser difícil, mas temos a responsabilidade de vencer”, afirmou.

“Conhecer as ideias do treinador, as características individuais dos jogadores e as características do campo. Fizemos muito trabalho tático e temos um plano se o campo der para jogar e outro se não der. É dessa forma que se preparam os jogos“, acrescentou.

O técnico leonino foi questionado sobre o seu futuro, depois de ter sido apontado ao Liverpool. No entanto, Amorim recusou tecer grandes comentários.

“Não me vou alongar sobre o meu futuro, o que tinha a dizer já disse. Só quero ganhar ao Rio Ave e depois logo se vê”, referiu.

Amorim também falou sobre a situação de Paulinho, que se encontra a contas com uma lesão, e ainda a polémica da calendarização dos jogos.

“Paulinho está a recuperar bem, esperamos tê-lo em breve. Gestão do Viktor… já jogamos várias vezes com um ataque mais móvel, caso aconteça alguma coisa. O que complica é a quantidade de jogos, não há muito tempo para treinar. Calendário? Ontem foi difícil porque não sabíamos com o que contar. A incerteza é o que me custa mais. Já está certo que jogamos domingo com o Farense, Taça na quinta e Atalanta na quarta. Três jogos difíceis que temos de ganhar, decidem-se competições é pensar um de cada vez. Depois logo se vê a gestão com os jogadores“, disse.

Questionado sobre se este seria um jogo de estofo de campeão, o treinador verde e branco tinha a resposta na ponta da língua.

Morita está muito preparado para todo o tipo de jogo. Se é de estofo de campeão, acho que são todos. Temos capacidades para vencer qualquer jogo. O que prevemos é que é um jogo com características diferentes, vamos ter de marcar e não sofrer. Sabemos que em Vila do Conde o vento influencia, mas está tudo pensado e vamos ver se corre bem“, considerou.

Por último, Amorim foi questionado sobre se o adiamento do jogo com o Benfica para a Taça foi uma solução considerada perante a polémica da calendarização.

“Tirando o Paulinho tenho tudo à disposição. Falaram em adiar o jogo com o Farense, mas deixei isso com o Vasco e com o Viana, eles trataram de tudo. Foi tudo desenvolvido entre a Liga, o Sporting e a Atalanta. Eles trataram disso e e vamos jogar quando tivermos de jogar“, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *