A curiosa ligação de Mike Tyson ao Benfica dá que falar lá fora

A paixão de Mike Tyson, uma das maiores lendas do boxe mundial, pelo Benfica tornou-se um tema de fascínio a nível global, especialmente após a sua mensagem de felicitações ao clube no seu 120.º aniversário. Este gesto do ex-campeão dos pesos-pesados não passou despercebido, suscitando curiosidade sobre a origem desta relação aparentemente improvável entre uma figura icónica do desporto norte-americano e um dos maiores clubes de futebol de Portugal.

A cobertura do jornal espanhol Marca, reconhecido internacionalmente, ampliou a visibilidade desta união, destacando não apenas a mensagem de Tyson, mas também aprofundando a ligação emocional que o pugilista desenvolveu com o Benfica ao longo dos anos. Este interesse de Tyson pelo clube lisboeta é uma narrativa conhecida em Portugal, contudo, o contexto internacional ficou surpreso e intrigado com tal afinidade.

A relação de Tyson com o Benfica remonta a vários anos atrás, quando lhe foi oferecida uma camisola do clube. Além disso, a amizade com um grande amigo, filho de emigrantes portugueses nos Estados Unidos, desempenhou um papel crucial em estreitar os laços do ex-boxeador com o Benfica, alimentando o seu interesse e admiração pelo clube.

Na mensagem que Tyson partilhou, a referência a Eusébio, a “Pantera Negra”, não só evidencia o respeito e admiração que Tyson nutre pela lenda do Benfica e do futebol português, como também realça a profundidade da sua ligação ao clube. Esta manifestação de afeto por uma instituição tão distante do seu universo profissional sublinha a capacidade do desporto, seja futebol ou boxe, em unir culturas e personalidades diversas sob uma paixão comum.

Este episódio singular entre Tyson e o Benfica ressalta como o desporto transcende fronteiras, idiomas e disciplinas, criando ligações inesperadas que capturam a imaginação de fãs ao redor do mundo. A história da afeição de Tyson pelo Benfica é um testemunho da universalidade do desporto e do seu poder em construir pontes entre mundos aparentemente dispares.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *